sexta-feira, 3 de outubro de 2008

O debate

Não sou muito de fazer análises sobre políticos, prefiro comentar futebol e F1. Mas como acompanhei atentamente o debate pela InterTV, me sinto com alguma capacidade para fazer pequena análise, junto com os amigos aqui do blog. Então segue o que senti em relação ao debate desta quinta-feira.

Rosinha - Sabe lidar com as câmeras e fala com facilidade suas propostas. Se saiu bem nas perguntas, mas mostra certa irritação quando "cutucada". Nota 8

Odete - Parecia bem mais solta do que no primeiro debate. Acho que estudou melhor suas propostas e se saiu bem de modo geral, principalmente quando foi alfinetada por Feijó. Só não pode cometer alguns erros de português. Nota 8

Arnaldo Viana - Um pouco melhor do que no primeiro debate. Mas continua sem conseguir colocar tudo que seu eleitor espera em suas respostas. Foi mal ao pedir um direito de resposta quando seu nome nem citado foi. E saiu-se bem quando Feijó pegou pesado. Têm dificuldades em olhar para a câmera. Nota 6

Paulo Feijó - O atirador da noite e Arnaldo era seu alvo favorito. Estava indo bem ao que se propunha, mas errou na dose ao comentar o problema de saúde do adversário e falar da inexperiência de Odete. Mas tem claro domínio na articulação de seus pensamentos e fala para a câmera com objetividade. Nota 4

2 comentários:

Gervásio Neto disse...

Grande Guga!!

Penso basicamente as mesmas coisas. Só não consigo dar nota 4 para Feijó. Daria -2...rsrs...ainda bem que Odete falou tudo que tantos desejavam.
Em virtude disso, mudei meu posicionamento. Mesmo com alguns "poréns", vou de Odete no domingo.
Um grande abraço!!!

Anônimo disse...

RECORDAR É VIVER :
O Banco Central acaba de entrar nas investigações sobre os recursos depositados em contas no exterior que estariam em nome do ex-prefeito de Campos, deputado federal Arnaldo Vianna (PDT). A Procuradoria Geral da República e a Polícia Federal já vêm trabalhando no caso, a partir de uma denúncia do Ministério Público Estadual.

De acordo com o que chegou ao conhecimento do MP, foram abertas três contas em bancos dos Estados Unidos, num total de U$ 35 milhões (hoje somando R$ 70 milhões) em nome do ex-prefeito.
Senha é “Ilsan” - Nos primeiros levantamentos que foram feitos pelas autoridades, a indicação de que o dinheiro estava em nome de Arnaldo Vianna ficou ainda mais clara, principalmente porque o nome dele apareceu nos extratos e as senhas são “Ilsan”, nome da ex-primeira dama de Campos, com quem ele foi casado. No desenrolar dos fatos, surgiu a informação de que Vianna estaria tentando movimentar as contas, o que levou o deputado federal, Geraldo Pudim, a solicitar o bloqueio das mesmas.

Ontem, uma fonte que prefere continuar preservada, informou que “as contas estão, de fato, em nome do ex-prefeito de Campos”. Segundo informou ainda, cópias de novos documentos já em poder de uma das instituições federais definem que o dinheiro está, mesmo, em nome de Arnaldo Vianna.

As autoridades também estariam investigando a possibilidade de haver depósitos em outros países e a compra de shoppings, postos de gasolina e imóveis no exterior e em diversas regiões do Brasil. Muitos deles poderiam estar em nome de “laranjas” e familiares do ex-prefeito.

Entenda todo o caso
O Ministério Público RJ enviou denuncia à Procuradoria Geral da República e a Polícia Federal contra Arnaldo Vianna, informando de três contas em bancos nos Estados Unidos, onde o ex-prefeito de Campos teria uma fortuna, na época, de U$ 35 milhões (trinta e cinco milhões de dólares), equivalente a R$ 70 milhões (setenta milhões de reais), considerando a cotação atual do dólar.

O dinheiro foi localizado no Disconunt Bank And Trust Co, onde o ex-prefeito teria depositado em uma conta U$ 17,4 milhões (equivalente a R$ 34,8 milhões); Bank of New York, onde Vianna teria U$ 12,3 milhões (equivalentes a R$ 24,6 milhões); e o Banco Safra de Investimentos de Nova Iorque, onde o deputado teria U$ 5,4 milhões (equivalentes a R$ 10,8 milhões).

As investigações constaram ainda que o ex-prefeito usava como senha em todas as contas bancárias o nome da sua ex-mulher, “Ilsan”. As três contas só podem ser acessadas pelo titular após apresentação do código de acesso (Start Code), que só é do conhecimento de seu proprietário ou de pessoa autorizada pelo próprio.

O dinheiro depositado nas contas em três bancos percorreram longo caminho (Campos-Rio-Miami-Nova Iorque), de acordo com o roteiro traçado nas investigações. Os depósitos começaram a ser feitos em abril de 2004, coincidentemente, o ultimo ano do mandato de Vianna como prefeito.