sábado, 26 de abril de 2008

CAMPOS INÍCIO DO SECÚLO XX e CAMPOS NO INÍCIO DO SEÚLO XXI

No início do século XX juntamente com o início da construção do " Brasil Moderno", nascia uma imprensa vivaz, inovadora em seus segmentos, que refletia a nova ordem política, a nova sociedade.
A imprensa passou a ser a "porta-voz" na veiculação das transformações ocorridas no espaço urbano, cultural, político como também, divulgava a riqueza e o progresso da cidade.
Ao folhear um jornal, uma revista revelava-se para o leitor a cidade moderna como, um palco, abrindo-se para viver o projeto da modernidade, civilidade, onde as palavras de comando eram: Ordem e Progresso.

Sabe-se que os periódicos são fontes privilegiadas pelo historiador por envolvê-lo no tempo pretérito em que busca reconstituir e documentar o passado através do registro múltiplo: do textual ao iconográfico, do perfil de seus editores ao dos seus leitores, reunindo suas variadas visões de mundo e imaginários coletivos.

No ano de 1905 a revista " A Lanterna", que era quinzenal de letras, atualidades e sports, cujo escritório e redação era na Rua da Assembléia 75 , na cidade do Rio de Janeiro, dedicou os números 11 a 14 sobre a cidade de Campos.
Vou transcrever alguns trechos do edital da revista nr.11, intitulado CAMPOS

....." Campos é uma surpreza para quem a vê. Feche os olhos o carioca que, pela primeira vez, a visitar. Deixe -se levar de olhos fechados até a praça São Salvador, e os abra-os ahi. E' exactamente, é fielmente um trecho do nosso Passeio Público, em frente a Bibliotheca Nacional, o que elle ahi irá encontrar.
Dirija-se á rua Treze de Maio, e verá que belleza de edificios, que movimento, que commercio!.....Campos não é uma cidade parada, expressão que melhor nos ocorre agora para dar idéia do que são mil e uma cidades dos Estados do Brasil.
E' uma cidade que se move, pelo seu commercio, que resfolega pelas machinas das suas fábricas, que vive , pela sua população, que pensa pelos jornaes, e , principalmente, que produz."

Ao olharmos para a imprensa hoje temos a nítida imprensão que nossa evolução ficou estagnada, não lemos e nem ouvimos sobre a cidade de Campos como no início do século XX, como desmonstra o trecho acima.
Ironicamente hoje temos o cofre público bem mais rico do que em 1905, mas em compensação pertencemos a uma cidade abandonada, sem gestor público, doente, suja, sem regras. As manchetes tanto locais, regionais são as piores possíveis, demosntram o total absurdo que vivemos.
É Lamentável !!!!!

Gustavo, resolvi escrever este pequeno texto depois que visitei seu blog.

Texto enviado pela leitora Maria Alice Pohlmann.

2 comentários:

Xacal disse...

Gustavo e Maria Alice,

Parabéns ao primeiro pela publicação e a segunda pela criação...

Gustavo Rangel disse...

valeu xacal!!!