quarta-feira, 4 de junho de 2008

Casal homossexual é preso após programa de TV.



O programa "SuperPop", apresentado por Luciana Gimenez na noite de ontem, terminou em prisão, de acordo com matéria publicada pela Folha Online. A atração entrevistou os sargentos do Exército Fernando de Alcântara de Figueiredo e Laci Marinho de Araújo, que assumiram relacionamento homossexual em reportagem de capa da revista "Época" desta semana.

Na atração, os dois sargentos repetiram, ao vivo, a história contada na revista: que vivem juntos, em união estável, desde 1997. O programa terminou com o prédio da Rede TV! cercado pela Polícia do Exército, que chegou ao local por volta das 23h30. A chegada do carro militar foi mostrada ao vivo no programa.

Um dos sargentos, de Araújo, é considerado desertor das Forças Armadas e tinha mandado de prisão expedido pela Justiça Militar desde o dia 21 de maio, segundo "Época". Ele foi preso ao sair da emissora, por volta das 4h de hoje. Houve negociação com a presença de representantes do Condep (Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana).

A presença do Exército na porta da Rede TV! --em Barueri, na Grande São Paulo-- foi informada a Luciana Gimenez por uma produtora, que cochichou no seu ouvido a informação. Ao vivo, a apresentadora afirmou estar assustada com aquilo tudo: "Em sete anos de 'SuperPop' é a primeira vez que passo por uma situação desta", disse.

O sargento de Araújo se desesperou, ao saber que o Exército iria prendê-lo. "Eu vim em rede nacional para resguardar a minha vida. Porque a televisão atinge mais pessoas do que a revista. Se eu for preso eu vou morrer, será queima de arquivo", declarou o militar, exaltado.

Luciana respondeu: "O que eu posso fazer? Você veio aqui por livre e espontânea vontade", falou. A apresentadora se despediu do público, mas ainda era possível ler os lábios do sargento de Araújo, que balbuciava: "Eu não vou me entregar". Seu companheiro, sargento Alcântara, aparentava mais calma.

Como está doente [a doença não foi revelada pelo militar] e faz uso de remédios controlados, após ser preso, Araújo foi levado para o IML, onde fez exame de corpo de delito e, depois, para o Hospital Militar, no Cambuci, região central de São Paulo.

fotos: Apu Gomes/Folha Imagem

2 comentários:

estou torcendo para os dois sair dessa disse...

ola tudo bem...
estou escrvendo aki por que...
eu gostaria muito que os dois sai-se disso tudo estou torcendo por eles

João Paulo disse...

O respeito ao indivíduo e à coisa pública, a imparcialidade, a defesa dos diretios básicos do humano ainda são desrespeitados no Brasil. É not[orio que mesmo em países teocráticos como Israel, o respeito aos direitos dos homossexuais(bem como das mulheres, crianças, idosos) sejam mais respeitados que no Brasil, o pais campeão em crimes e homicídios de natureza sexual. A poucos meses o país foi incluído no hall dos "países desenvolvidos" mas ainda falta muito para sair do último lugar, estamos longe de possuir a solidez democrática de uma inglaterra(que nem é oficialmente uma república) e é preciso trabalhar muito, corrigir muitas distorções que ainda ocorrem no seio de nossa sociedade, balizadas por um machismo persistente e nefasto.